quinta-feira, 3 de julho de 2008

Trabalhando ao lado de "gênios".

Durante toda essa semana estou em curso, pela empresa, no Rio. E, como o curso exige que usemos um computador, está sendo uma beleza. Eu já domino o assunto e o professor, modéstia a parte, é uma lerdeza. Assim, to tendo tempo de ficar viajando pelos blogs, lendo notícias e outros.
Numa dessas de ficar procurando o que ler, acabei pesquisando sobre um funcionário da minha empresa que, além de ser meu futuro professor em pesquisa operacional, desenvolveu um trabalho de mestrado e, futuramente, complementou o mesmo em sua tese de doutorado, que foi de suma importância para a Petrobras.
Antes de explicar o trabalho dele, vou dizer da onde veio a inspiração:

"O sistema PLANGAS foi desenvolvido, especificamente, para gerar uma previsão otimizada para um sistema complexo de produção e escoamento de gás. Um sistema de produção de óleo e gás natural offshore compreende um grande número de plataformas, em que a malha de compressão de gás e escoamento é muitas vezes integrada e bastante complexa. Cada unidade funcional (plataforma) é gerenciada separadamente, com a tarefa de obter o melhor retorno, desenvolvendo objetivos próprios. Estes objetivos nem sempre são concordantes e, freqüentemente, entram em conflito uns com os outros. A alteração na movimentação de gás de uma plataforma poderá afetar a movimentação e objetivos próprios das demais, assim como o resultado final do sistema."


Bom, este sistema, o PLANGAS, que foi desenvolvido pela equipe de engenheiros e técnicos da Petrobras, visa uma otimização do aproveitamento deste gás, objetivando o lucro da empresa, óbvio. O que o meu futuro professor desenvolveu, EDSON KENJI IAMASHITA, foi um algoritmo que testava a eficência econômica deste sistema. Este, por sua vez, foi o algoritmo da tese de mestrado. Já na sua tese de doutarado, o mesmo utilizou metaheurísticas, que são algoritmos complexos e relativamente novos, já que foram desenvolvidos na década de 70. Não me perguntem o que significa exatamente, mas o resumo é o seguinte; existem alguns problemas, que não podem ser resolvidos de maneira comum e, mesmo que usemos algum tipo de programa que busque a solução correta, este, por sua vez, consumiria dias, ou até anos de processamento. Isto torna a pesquisa inviável. Desta forma, uma metaheurística permite com que cheguemos a soluções aceitáveis, dentro de padrões estabelecidos, de uma forma muito mais rápida.

Até aí tudo bem né? Agora imaginem só entender e desenvolver isso tudo? Se duvidam da complexidade do negócio, pesquisem por Edson Kenji Iamashita no google e entrem na primeira página de resultados, que é do domínio público do governo federal. Os trabalhos deles estão disponíveis lá. A Petrobras utilizou a tese de mestrado para melhorar o seu programa e a tese de doutarado serviu para mostrar outros objetos que podem servir de estudos para mais melhorias ainda. Fiquei impressionado ao ler o trabalho e admiro demais quem faz essas coisas diferentes. Não vejo a hora de ter aula com ele logo =)

Ps: Pra quem não sabe, assim como o Edson Kenji Iamashita, também trabalho na Petrobras. O Kenji ministra aulas de pesquisa operacional, que foi base para o desenvolvimento destes trabalhos. É por isso que estou ansioso e feliz, pois vou pegar essa matéria neste período.

Um abraço para todos.

8 comentários:

Juliana Dacoregio disse...

Olá! Seu comentário no meu blog me inspirou a escrever um post só com técnicas de como "desconverter" seus familiares e amigos! Aguarde cenas dos próximos capítulos!
ah, e muito obrigada pela visita e por comentar! Apareça sempre, a casa é sua!
Abração:)

camila disse...

Muito bom ver jovens progredindo... melhor... é muito bom ver jovens buscando progredir!
E ter ao lado gênios... é inspirador! Muito bom, mesmo!
Gostei do seu blog, também quero empreender! ;)
Beijo

camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
camila disse...

Volte sempre ao meus Caminhos...
Mas aqui...
Você ainda está fazendo curso? E nagevando poe aqui?!
Beijo
=)

Ps. Não gosta mais de escrever?

LA_MALIGNA disse...

"Erradas" pra quem, cara pálida? Ou melhor, cara bronzeada?

Casa com uma queimadinha de praia e vê como ela vai tá daqui 10 anos então... =P

Sobre a camada adiposa, bom... eu não me considero uma gorducha, mas também não sirvo pra modelo. Mas meu namorado nunca reclamou, pelo contrário hehehehehe

Juliana Dacoregio disse...

Victinhu, não me esqueci do post "Salve seu parente dos evangélicos", não. Pode deixar que tô matutando sobre algo. Obrigada por elogiar meu senso de humor. Eu sou mesmo muito "engraçadona"! hehehhehe....
Quanto ao seu coments lá no Mulherzinha, gggrrrrr.... você deixou as branquelas muito raivosas!!!

Camilla disse...

Deve ser bem interessante peagar essa matéria...
Depois você conta pra gente!!

Beijos

Mary West disse...

São iniciativas assim que fazem o Brasil dar seus passos curtos, mas sinceros, para frente.