segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Pra alegria dos jovens, incluindo eu.

Essa é pra quem não estava gostando tanto da lei seca.
Lei Seca pode baratear seguros de jovens e deixar alcoolizados sem cobertura:

SÃO PAULO - De acordo com o vice-presidente da Fenacor (Federação Nacional dos Corretores de Seguros), Sérgio Petzhold, a Lei Seca pode diminuir em 10% os preços dos seguros para os condutores entre 18 e 24 anos.Os seguros para motoristas nesta faixa etária geralmente são de 15% a 30% mais caros, por conta do grupo ter perfil mais sensível a acidentes. Contudo, acredita Petzhold, a mudança de hábitos diminuirá os preços das apólices não só para os jovens como também para todos os motoristas."Sabendo que mais de 90% dos acidentes são causados por falha humana e não por algum problema no veículo e que grande parte destes acidentes deve-se à embriaguez, com a diminuição do número de acidentes, certamente haverá redução de custos. Além disso, as pessoas irão preferir carona, táxi ou outro meio de transporte, quando forem para alguma reunião social, algum jantar de família, e acabarão por expor menos seus veículos ao roubo, o que também contribuirá para diminuir os preços", disse.SincorNo geral, a Lei Seca pode causar redução de 10% a 20% nos preços de seguros de automóveis no País, segundo o presidente do Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo), Leôncio de Arruda.Entretanto, para que isso aconteça, são necessários dados estatísticos mais consistentes, a fim de que se possa verificar a eficácia e o real impacto da lei, diz ele.STJAlém de sofrer as penalidades previstas pela Lei Seca, agora quem dirigir embriagado pode ficar sem o seguro do carro. A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça julgou um processo no qual se decidiu que a embriaguez passa a ser agravante no risco do seguro.Segundo o ministro Ari Pargendler, a seguradora não pode suportar riscos de fato ou situações que agravam o seguro. Todavia, ressalta ele, a decisão não foi tomada por conta da Lei Seca, já que o processo é anterior à edição dela.O ministro explicou que a lógica do agravante do risco se respalda no antigo Código Civil, para quem segurado e segurador são obrigados a guardar no contrato a mais estreita boa-fé e veracidade.Apesar disso, o vice-presidente da Fenacor acredita que a lei pode beneficiar as seguradoras em processos envolvendo motoristas que ingeriram bebida alcoólica. "Se antes a maioria das coberturas envolvendo motoristas embriagados já eram negadas, agora haverá o amparo da lei".

3 comentários:

Camilla disse...

Uhul!!
Até que enfim alguma coisa boa depois dessa maldita lei seca.

Vou lembrar disso quando for comprar meu carro...

Beijos

Bem Resolvida disse...

como eu não bebo cerveja e como eu não dirijo....rsrsrs

aquele jesuis foi um susto??? rs

boa semana!!

Mary West disse...

Bebo mais naum dirijo, tanto faz essa lei, mas tenho certeza que naum dura até o proximo carnaval!